VÍDEO: Arte e Cultura Mato Grosso | Programa 14 | Bloco 01

Título: Arte e Cultura Mato Grosso | Programa 14 | Bloco 01

Ano: 2020

Autor: Assembleia Legislativa – MT

Tipo de registro: vídeo

Categoria: Vídeo (video)

Palavras chaves: Pessoas

Resumo: Quais os trabalhos teatrais desenvolvidos nos cantos desse Brasil? País de múltiplas influências e culturas. Quais vivências artísticas possíveis nos dias atuais? Qual importância de ações artísticas e culturais em um momento como esse que atravessamos? É possível o diálogo e vivências entre os coletivos pós-pandemia? Convidados: Valéria Cristina da Costa/MG (UFVJM), Ronaldo Serruya/SP, Nena Inoue/PR, Naine Terena/MT. Valéria Cristina/MG, Desde 2009, é professora da Universidade Federal dos Vales do Jequitinhonha e Mucuri (UFVJM), Campus do Mucuri. Neste mesmo ano, por meio da atuação profissional junto à UFVJM, se aproxima do Grupo In-Cena de Teatro, se tornando membro do Instituto Cultural In-Cena, desde a sua fundação, em 2012. Ronaldo Serruya/SP, É ator e dramaturgo de um dos mais importantes grupos de teatro do país, o Grupo XIX de teatro ( SP), premiado no Brasil e no exterior. Além disso, desde 2009 fundou o Teatro Kunyn, um coletivo voltado exclusivamente para trabalhar questões queer no teatro, com quem montou diversos espetáculos, o mais recente chamado “Desmesura”, que ganhou o prêmio Suzy Capó de obra mais transgressora no 25o Festival MIX Brasil da Diversidade. Desde 2017 pesquisa e estuda as relações entre arte e HIV/ AIDS, ministrando várias oficinas, a mais recente intitulada “Como eliminar monstros: abordagens contemporâneas sobre HIV”realizada no Itaú Cultural dentro da programação da Mostra Todos os gêneros de 2019. Nena Inoue/PR, Nena Inoue, artista gestora, atriz, diretora, produtora. Com 40 anos de teatro, ininterruptos. Inquieta, realiza seus trabalhos na cidade de Curitiba/PR e circula pelo Brasil afora. Criadora do Espaço Cênico desde 1997. Em 2017 estreia seu primeiro solo, Para Não Morrer, com dramaturgia de Francisco Mallmann a partir da obra Mulheres, de Eduardo Galeano. Este espetáculo é um grito, “minha voz, o que eu quero dizer aqui e agora”, diz Nena, que por esta atuação recebeu o Prêmio Shell 2019 de Melhor Atriz e o Troféu Gralha Azul 2017 Naine Terena/MT. Naine Terena é multiartista, natural de Cuiabá/MT e formada em Comunicação Social pela UFMT. Doutora em Educação, é docente na Faculdade Católica de Mato Grosso. Foi assessora de imprensa na Secretaria de Estado de Comunicação de Mato Grosso e na Secretaria de Estado de Cultura e também professora substituta no Curso de de Rádio e TV da UFMT. Atualmente é pesquisadora do Grupo de Pesquisa Multimundos Brasil e produz trabalhos jornalísticos para projetos/veículos ambientais e culturais, através da Oráculo Comunicação, educação e cultura. É uma das organizadoras do livro “Povos Indígenas no Brasil: Perspectivas no fortalecimento de lutas e combate ao preconceito por meio do audiovisual” #FESTTO2020#TeatroPelosCantos#VivênciasPossíveis#9Edição#InstitutoCulturalInCena#GrupoInCenaDeTeatro#InCena13anos

(VÍDEO)

Título: ALICCE OLIVEIRA – HISTÓRIAS INDÍGENAS

Ano: 2020

Autor:
Cine Teatro Cuiabá

Tipo de registro: vídeo

Categoria: CURA (cure)

Palavras chaves: Pessoas

Resumo: Espetáculo baseado nas bibliografias e histórias orais do povo Terena. Esta proposta teve seu estudo implementado no começo de 2016, através de uma parceria entre a atriz Alicce Oliveira e a Doutora em Educação Naine Terena de Jesus, que também é diretora teatral e Mestre em Arte Contemporânea e Doutora em Educação. A ideia era congregar quatro mitos do Povo Terena, numa montagem teatro narrativo, que trouxesse a luz tais histórias, que, estão descritas em relatos de antropólogos e de alguns anciãos deste povo. O objetivo é levar ao público a riqueza da cultura indígena existente no estado (que tem mais de 40 povos), ao mesmo tempo que dá visibilidade às comunidades Terena em Mato Grosso. O Projeto foi contemplado através do Edital Circula MT, do Governo do Estado, por meio, da Secretaria de Estado de Cultura, possibilitando a sua realização. E este ano de 2020, foi também selecionado no Edital Emergencial Festival Cultura Em Casa. A atriz Alicce Oliveira apresenta os mito de criação, as experiências dos animais, cantos no idioma Terena, manipulação de bonecos, uso de máscaras e paisagem sonora, neste espetáculo que não pode passar despercebido aos olhos curiosos para a essência da cosmologia indígena. Ficha Técnica Coordenação Artística: Naine Terena Atriz/Narradora: Alicce Oliveira Texto: Inspirado nas literaturas sobre o povo Terena e narrativas orais Produtor Geral: Téo Miranda e Naine Terena Assessoria de Comunicação: Dom Produções Ltda e Naine Terena Fotografia e Design Gráfico (portfólio): Téo de Miranda – Editora Sustentável Figurino e Acessórios: Karine Mattos, Juliana Graziela, Eliana Martinez, Zuleica Tiago e Alessandra Dias. Cenografia: Alessandra Dias e Naine Terena Iluminação: Everton Britto Apresentação realizada pelo projeto Cultura em Casa pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer do Estado de Mato Grosso.

Vídeo – Projeto Tese de doutorado

Título: Vídeo compilado Tese doutorado

Ano: 2014

Autor: Naine Terena

Tipo de registro: vídeo

Categoria: CURA (cure)

Palavras chaves: Pessoas

Resumo: O presente estudo tem como objetivo a investigação da utilização de produtos audiovisual nas aulas ministradas por professores Terena da Escola municipal indígena Lutuma Dias, localizada na aldeia Limão Verde – em Aquidauana – MS. A questão que origina a tese é apreender quais as motivações e a contribuição desses elementos no dia a dia da escola indígena diferenciada,considerando-se que a inserção de aparatos tecnológicos ainda faz parte de uma metodologia nova até mesmo nas escolas não indígenas. A base metodológicas da investigação pautou-se na observação da utilização do audiovisual em sala de aula e a produção de materiais próprios por parte dos professores indígena e entrevistas com esses educadores. . As hipóteses apresentadas neste estudo baseiam-se em 1) o audiovisual apresenta aproximação com a oralidade, característica típica dos povos indígenas. 2 ) a escola indígena diferenciada está em constante alteração e por isso os educadores necessitam de métodos e materiais eficazes e condizentes com a realidade indígenas 3) Professores e alunos Terena que frequentam a escola indígena Lutuma Dias, tem passado por diferentes processos de constituição de identidade, como as assimilações, influências, e hibridações culturais. A base teórica se utiliza de estudos da educação escolar indígena diferenciada, a história e cultura do povo Terena, educomunicação, audiovisual indígena e educação

Vídeo – Receita de Comida Terena

Título: Receita de Comida Terena

Ano: 2020

Autor: Naine Terena

Tipo de registro: vídeo

Categoria: Mulheres (women)

Palavras chaves: Pessoas

Resumo: vídeo produzido por professores Terena da Aldeia Limão Verde – Aquidauana – MS. O vídeo pode ser utilizado nas aulas de língua Terena, onde os alunos devem buscar a compreensão do idioma, sob orientação de Naine Terena